As consequências de noites mal dormidas vão além do cansaço e irritação no dia seguinte. Com o tempo, dormir pouco ou dormir mal causa vários danos à saúde, incluindo maior risco de doenças cardiovasculares.

Não está totalmente claro por que a falta de sono é prejudicial ao coração. O que se sabe é que pessoas que dormem pouco tem maior probabilidade de ter certas condições de saúde que aumentam o risco de doenças cardiovasculares. Essas condições incluem: hipertensão arterial, diabetes mellitus tipo II, obesidade e sobrepeso.

Não só a ansiedade e a carga alta de trabalho podem interferir na qualidade e duração do Sono. Alguns distúrbios do sono são problemas que afetam a capacidade de dormir bem. Alguns deles podem aumentar o risco de pressão alta e doenças cardiovasculares. São eles:

• Apneia do sono – distúrbio que faz com que a pessoa pare de respirar por alguns segundos várias vezes enquanto dorme. Os sintomas incluem ronco alto e sensação de cansaço durante o dia.

• Insônia – é a dificuldade para pegar no sono ou permanecer dormindo, ou ambos. Possui uma variedade de causas. Para os distúrbios do sono existem tratamentos que devem ser avaliados junto ao médico assistente.

O mais interessante em relação a esse assunto é que todo mundo que a privação de sono interfere na saúde né? Ok! Mas é dormir demais?

O sono prolongado também está relacionado a maior risco de doenças cardíacas. Foi o que mostrou uma pesquisa publicada no jornal científico do Colégio Americano de Cardiologia, que analisou os hábitos de sono e os registros médicos de cerca de 461 mil pessoas de 40 a 69 anos que vivem no Reino Unido. Elas não tinham doenças cardíacas prévias. A análise revelou o seguinte:

⁃ aqueles que dormiam menos de seis horas tinham 20% mais chances de ter um primeiro ataque cardíaco;

• aqueles que dormiam mais de nove horas tinham um risco 34% maior.

Além disso, os pesquisadores descobriram que dormir entre seis e nove horas reduz em 18% o risco de sofrer um ataque cardíaco nas pessoas que têm predisposição genética para doenças cardíacas.

Então, o equilíbrio nas horas de sono, além de atividade física regular, uma boa dieta, são importantíssimos para uma boa